entradas

щи (xi) – sopa russa de legumes

Posted by on nov 10, 2015 in entradas, prato principal, vegetariano, vegetariano
No Comments

chtchi

O xi (as vezes você encontra escrito shchi ou chtchi, mas resolvi seguir a wikipedia) é uma sopa de legumes (onde pode ir carne também) bem típica da Rússia e da Ucrânia. Já tinha ouvido falar por amigos dessas regiões, até que consegui provar uma feita por alguém Russa. É surpreendente como algo que parece tão simples, com ingredientes tão comuns, pode ficar tão diferente e tão bom. Não deixe de provar. A receita a seguir é adaptada desta e dá para 2 pessoas como prato principal, ou 4 pessoas como entrada.

  • 3 colheres de sopa de manteiga
  • 1 cebola
  • 1/4 repolho fatiado bem fino
  • 1 cenoura grande
  • 1 batata grande
  • 1 galho de salsão (sem as folhas)
  • 1 cubo de caldo de legumes
  • 2 folhas de louro
  • 1 colher de sopa de endro
  • sal e pimenta do reino
  • creme azedo, ou iogurte + limão, ou nata + limão

O preparo se faz em uma panela e uma frigideira. Na panela, coloque a metade da manteiga, e frite a cebola e o galho de salsão picados, até ficar transparente. Não deixe ficar dourado, porque queremos um caldo de cor bem clara e não marrom. Acrescente o repolho fatiado, o cubo de caldo de legumes, o louro, e mais ou menos um litro de água. Tampe e deixe cozinhar em fogo baixo por mais ou menos 30 minutos. Se secar muito, acrescente mais água.

Na frigideira, com a outra metade da manteiga, frite a cenoura e a batata, com uma pitada de sal, mexendo com frequência, até começar a dourar e ficar algo entre macio e sequinho. Tome cuidado de não cozinhar demais, porque o que vai ficar interessante é o contraste entre o caldo de repolho e essa batata e cenoura torradinha.

Se não tiver creme azedo, é fácil de fazer com iogurte ou nata: Coloque mais ou menos 150g de iogurte ou nata (não use creme de leite comum, é muito light demais, não vai funcionar) em uma tigela, esprema um quarto de limão por cima, misture bem. Deixe repousar por 10 minutos. O suco de limão vai separar o soro da massa. Com uma colher, retire o máximo possível do soro, e misture o resto novamente para ter uma aparência uniforme. Pronto, você tem creme azedo.

Quando o repolho cozinhou (pode demorar um pouco mais, dependendo se foi fatiado muito fino ou não), junte a batata e a cenoura, e acrescente o endro (as vezes também chamado “dill”, difícil de encontrar fresco, mas fácil de encontrar seco). Coloque sal e pimenta do reino a gosto.

Sirva com umas colheres de creme azedo.

E como disse Putin: “Жену свою учить будешь как щи варить.”

 

Gaspacho

Posted by on jan 10, 2015 in entradas, lanche, prato principal, salgados, vegetariano, vegetariano
No Comments

gazpacho

O gaspacho é uma sopa fria espanhola (da Andaluzia para ser mais exato). Bem preparado, com uma receita bem tradicional como esta aqui (existem inúmeras variações e imitações, cuidado!), é uma delícia sem comparação. É bem fácil e rápido de fazer, mas atenção, a qualidade dos ingredientes é fundamental. A receita a seguir vem daqui. Diminui as quantidades para caber no nosso liquidificador:

Para quatro pessoas como entrada, ou duas como prato principal:

  • 1 kg de tomates bem maduros (importante)
  • 1 pimentão verde
  • 65g de pepino
  • 1 1/2 dente de alho
  • 100ml de azeite de oliva boa (ver comentário abaixo)
  • 100ml de água gelada
  • 35ml de vinagre de vinho branco
  • 35g de pão seco esmigalhado
  • 1 pitada de sal
  • 1 pitada de cominho em pó

Nota sobre o azeite de oliva: Acho que é o momento ideal para falar disso: Se você quer realmente um azeite de oliva de boa qualidade, com todo seu gosto e todas suas qualidades, precisam ser escritas 4 coisas na etiqueta: 1) extra 2) virgem 3) primeira pressão 4) extração a frio. Esses são cada vez mais difíceis de achar, e os vendedores de azeite fazem muita enganação, do tipo “todos os azeites extra são de primeira pressão”. Nada disso é verdade. O grau de acidez também não tem nada a ver com a qualidade. Somente se tiver essas quatro coisas, você terá um azeite que realmente é o que é para ser: suco de azeitona. Todos os outros são ou misturados, ou feitos com bagaço, ou fervidos para recolher maiores quantidades, ou essas três coisas juntas…

Como esses azeites são mais caros aqui no Brasil, é melhor usar um azeite de menor qualidade para cozinhar (igual, o gosto do azeite se perde), e guardar esse para coisas que não cozinham, ou muito pouco.

O preparo do gaspacho é mega-simples: Coloque todos os ingredientes no liquidificador, e bata por 5 minutos. Normalmente deve peneirar o gaspacho depois, mas, sei la, sempre acho uma pena de peneirar coisas…  Você que decide. Fica ótimo também sem peneirar.

Coloque na geladeira por pelo menos uma hora (a receita original diz “pelo menos 12 horas” mas achei cruel demais).

Sirva bem fria, com um fio de azeite de oliva, e, se quiser, uma girada de moedor de pimenta…

Berinjelas grelhadas com molho de leite de manteiga e romã

Posted by on jan 8, 2015 in entradas, prato principal, vegetariano, vegetariano
No Comments

berinjela1

Mais uma receita do Ottolenghi, de longe a mais espetacular das que fizemos esses tempos (é a capa deste livro que estávamos cobiçando ha alguns tempos). A berinjela com tomilho dá aquele gosto bem mediterrâneo, o molho é azedinho, e a romã é doce… O total é algo indescritível, que você vai ter que fazer para saber…

A receita é simples. O mais complexo seria fazer o leito de manteiga (algo pouco conhecido por aqui, que se chama “buttermilk” em inglês), que é o líquido que sobra quando se faz manteiga a partir de nata. Os ingleses adoram. Mas descolei um jeito alternativo que torna tudo bem fácil.

Para 4 pessoas:

  • 3 berinjelas
  • 1/2 xícara de azeite de oliva
  • 1 romã
  • 1 colher de sopa de zatar
  • sal + pimenta do reino a gosto
  • tomilho seco
  • 1/2 xícara de leite
  • 1/2 colher de sopa de vinagre
  • 1/2 xícara de iogurte grego
  • 1 dente de alho esmagado

Comece por aquecer o forno. Corte as berinjelas pela metade. Faça riscos nelas com uma faca, no sentido do comprimento primeiro, depois na diagonal. Pincele com azeite de oliva (não hesite em usar muito), polvilhe com sal e pimenta do reino, e tomilho. Deixe assar por 45 minutos. Deixe esfriar.

berinjela2

Faça o buttermilk, colocando o vinagre no leite, e espere sem mexer por 5 minutos. O leite vai separa em uma “massa” e um “líquido”. Preleve o líquido, e bata com o iogurte grego, uma ou duas colheres de sopa de azeite de oliva e o alho.

Retire as sementes da romã. O Ottolenghi explica um jeito bem simples: corte a romã em dois, e bata em cada metade com uma colher de madeira, em cima de um prato. Todas as sementes vão acabar caindo no prato (você deverá retirar alguns pedaços brancos que terão caído juntos). Funciona bastante bem!

Quando as berinjelas esfriaram até ficar mornas, coloque bastante molho em cada metade de berinjela, e polvilhe com sementes de romã e zatar. Experiência culinária inesquecível garantida.

Endívias recheadas com nozes e roquefort

Posted by on jan 5, 2015 in entradas, Uncategorized, vegetariano
No Comments

endivias

Outra receita do Ottolenghi, esta é bem simples. É fria, são folhas de endívias sobrepostas, recheadas com uma pasta de nata e roquefort, e uma guarnição de nozes e castanhas de caju torradas e azeite de oliva. As endívias, tão amargas normalmente, ficam nesta receita quase docinhas…

  • 2 endívias
  • 60g de roquefort
  • 3/4 de xícara de nata
  • 1/3 de xícara de nozes
  • 1/3 de xícara de castanha de caju
  • 1 colher de chá de manteiga
  • sal e pimenta branca a gosto
  • azeite de oliva para regar no fim

Rale o queijo, misture com a nata, o sal e a pimenta. Bata com um fouet. Em uma frigideira, frite as nozes e castanhas esmagadas na manteiga, mexendo bem, até torrar. Retire as folhas externas das endívias se estão muito machucadas, e separe as outras folhas.

Faça a montagem a seguir: Pegue uma folha grande, e unte com meio centímetro de pasta de queijo. Use as mãos mesmo, para ter bem certeza que toda a folha esteja untada. Faça a mesma coisa com uma folha menor, e coloque por cima, apertando para formar um tipo de mil-folhas. Faça montagens assim de 4 ou 5 folhas. Por cima, despeje um pouco da mistura de nozes, e regue com azeite de oliva. Sirva frio.

Suflê de queijo de cabra e avelãs com pêssegos em calda de baunilha e pimenta

Posted by on jan 3, 2015 in entradas, prato principal, vegetariano, vegetariano
No Comments

sufle1

Esse incrível suflê do Ottolenghi fica um pouco diferente do suflê tradicional, por causa do tipo de queijo e também porque assa com vapor no forno. Parece um pouco, para quem conhece, com um Yorkshire pudding.

Para 3 suflês individuais (depende do tamanho das suas formas):

  • 2/3 de xícara de água
  • 2/3 de xícara de vinho branco seco
  • 3/4 de xícara de açúcar
  • 1/2 colher de sopa de pimenta preta em grãos (não moída)
  • 1/2 fava de baunilha
  • 3 pêssegos sem pele cortados pela metade
  • 3 ovos
  • 5 colheres de sopa de manteiga
  • 1/2 xícara e avelãs sem a casca
  • 1 xícara + 2 colheres de sopa de leite
  • 1/2 cebola com 2 cravos
  • 1/3 de xícara de farinha
  • 80g de queijo de cabra duro

Prepare os pêssegos: Coloque a água, o vinho, o açúcar, a pimenta, a fava de baunilha em uma panela com os pêssegos. Deixe ferver, conte 8 minutos, vire os pêssegos de lado, e deixe ferver por outros 8 minutos.

sufle2

Prepare o que precisa para o suflê: Pique o queijo em cubos. Passe manteiga mole nas formas, esmague os avelãs (ou moa com um mixer), e espalhe os avelãs nas bordas das formas. Com a manteiga, devem aderir às paredes. A ideia é que as avelãs formem uma crosta leve em torno do suflê.

Faça o suflê. Cuidado, deverá ser servido imediatamente quando sair do forno. Aqueça o forno na temperatura máxima. Deixe o leite ferver com a cebola cravada com os cravos, e uma pitada de sal. Em outra panela, derreta a manteiga, acrescente a farinha, misture e deixe borbulhar os dois por um ou dois minutos. Desligue o fogo, e jogue o leite fervido (despeje a cebola) por cima. Vai imediatamente formar um creme bem grosso. Acrescente as gemas dos 3 ovos, misture, acrescente o queijo, misture.

Bata as claras dos 3 ovos em neve. Acrescente essa neve delicadamente ao molho. Atenção, o cuidado com o qual se faz esta operação tem influência direta na qualidade do suflê. Você deve tentar misturar os dois mexendo o menos possível, para não “desencher” a espuma das claras em neve. Uma boa dica é de primeiro pegar uma colher de clara, misturar vigorosamente com o molho, “perdendo” essa colherada, mas tornando o molho mais leve e mais fácil de misturar ao resto da clara.

Despeja a mistura nas formas, coloque no forno por 10 a 12 minutos. Sirva imediatamente, com um ou dois pedaços de pêssego e um pouco de calda.

Berinjelas com pasta de nozes

Posted by on ago 21, 2014 in acompanhamento, entradas, lanche, salgados, vegetariano, vegetariano
No Comments

10336751_700387816674113_8178278653988307836_nContinuando a grande aventura na cozinha georgiana, esse aqui talvez seja o mais absurdamente delicioso até agora. São fatias de berinjelas, fritas, e recheadas com uma pasta de nozes. A receita vem daqui.

10299073_700387843340777_7634758548468317951_nVocê vai precisar de:

  • 500 g de berinjelas
  • 250 g de nozes
  • 1 colher de sopa de feno grego
  • 1 colher de sopa de coentro em pó
  • 1 colher de sopa de paprica doce
  • 3 dentes de alho
  • 3 colheres de sopa de vinagre de vinho branco
  • sal
  • Azeite para fritar

Corte as berinjelas em fatias compridas e finas (meio centímetro, mais ou menos). Frite elas em uma frigideira untada com azeite, dos dois lados, até que fiquem bem douradas. Faça poucas fatias de cada vez. Coloque mais azeite quando você troca as fatias.

Faça o recheio, misturando todos os outros ingredientes, e passando no mixer (é melhor não usar o liquidificador, porque precisamos que fiquem pedacinhos). Quando tiver uma pasta bem homógena, é só pegar cada fatia, por uma colher de pasta em uma metade da fatia, e dobrar a outra metade, apertando um pouco.

ფხალი (Pkhali) – Pasta de nozes georgiana

Posted by on ago 21, 2014 in entradas, vegetariano
No Comments

11955_700387826674112_3815924280291861118_n

O pkhali é uma pasta típica da Geórgia, algo como um patê, mas que lá se come como um bolinho, em entrada, não como um patê. Não parece muito impressionante a primeira vista, mas garanto que você nunca comeu algo assim. O sabor dos legumes com a mistura muito especial de temperos da um resultado incrível. Ficamos viciados imediatamente.

Existem vários tipos de pkhali. Em todos, a base é a mesma: Nozes, alho e tempero. Nessa base é acrescentado o legume que dá o sabor principal ao pkhali, como espinafre ou beterraba, que são as duas versões mais conhecidas, que vou descrever aqui. Também já tentamos com outras coisas, como couve de Bruxelas, mas de longe os melhores são esses dois clássicos. A receita a seguir vem destas duas, de beterraba e de espinafre.10264676_700387853340776_1191695871698505833_nO preparo é bem simples, é melhor fazer o preparo um dia antes. E tem um ingrediente capital, mas que não é sempre fácil de encontrar: as sementes de feno grego. Indispensável para qualquer prato georgiano!

Indico aqui as quantidades para fazer duas porções, uma de espinafre e uma de beterraba:

  • 500g de espinafre fresco
  • 500g de beterraba
  • 1 cebola
  • 5 ou 6 dentes de alho
  • 200g de nozes descascadas
  • alguns ramos de coentro
  • alguns ramos de salsinha
  • 4 colheres de sopa de vinagre
  • 1 colher de sopa de coentro em pó
  • 1 colher de chá de pimenta vermelha em pó
  • 1 colher de sopa de feno grego (importante!)
  • sal

Comece por cozinhar o espinafre e a beterraba: Ambos cozinham em água fervente, o espinafre (com os galhos e tudo) por 5 a 10 minutos, e a beterraba por 30 a 40 minutos (dependendo do tamanho), até ficar macias quando espetadas com uma faca. Cortando as beterrabas em 4 acelera um pouco o cozimento. Não precisa descascá-las antes de cozinhar, uma vez cozidas a pele sai muito facilmente.

Escorra bem o espinafre, senão ele vai reter muita água e o pkhali não vai ficar firme. Passe o mixer nos dois legumes, tomando cuidado para não liquidificar, ainda devem ficar em pedacinhos.

Faça a base, misturando todos os outros ingredientes, e passando essa mistura no mixer. Divide a base em dois, e misture cada metade com um dos legumes picados.

Deixe as pastas na geladeira por algumas horas (idealmente, de um dia para o outro) antes de servir.

 

Alho-porró a flamenga

Posted by on jul 22, 2013 in acompanhamento, entradas, vegetariano, vegetariano
No Comments

poiraux

Caso você acabou de ler o outro post sobre aspargos a flamenga, e pensou “onde vou encontrar aspargos agora”, os seus problemas acabaram. Esta versão “de pobre” (aspargos são caros), se faz exatamente da mesma maneira, mas com alho-porró. Fica igualmente fantástico.

  • 4 alhos-porrós
  • 2 ovos cozidos (10 minutos)
  • 100g de manteiga

Corte as partes verdes mais duras dos alhos-porrós, e um meio centímetro da base, caso esteja com a base dos raízes ainda. lave bem, se necessário, faça um corte no comprimento do alho-porró, mais ou menos até o centro (não corte eles em dois). Isso permite afastar bem as folhas e retirar toda a terra que costuma ficar bem no fundo. Ferva água com sal, e coloque os alhos-porros nela para cozinhar, por mais ou menos 25 minutos, ou até que fiquem bem macios.

Coloque os alhos-porrós cozidos num prato, Esmague os ovos cozidos com um garfo e despeje por cima, e cobre com a manteiga derretida. Uma delícia total!

Aspargos a flamenga

Posted by on jul 22, 2013 in entradas, vegetariano
No Comments

asperges

Quando vem a primavera, é a estação dos aspargos, e a Europa inteira enlouquece. Por sorte estávamos la umas semanas atrás, e a minha tia Bénédicte me ensinou – obrigou – a fazer esta receita incrível. O melhor é usar aspargos brancos, mas eles devem ser bem macios, bem frescos, o que é difícil de achar no Brasil. Dá para fazer a mesma receita com aspargos verdes também. Lembre-se que toda a qualidade depende do frescor do aspargo. Um maço fornece uma boa entrada para 3 ou 4 pessoas.

  • Um maço de aspargos
  • 2 ovos
  • 100g de manteiga

A receita é bem simples, só precisa ter um pouco de cuidado no preparo dos aspargos: Corte a base dura dos aspargos (1 a 2 cm), e com um descascador de batatas, raspe levemente o “tronco” dos aspargos, para retirar os fios mais duros da pele exterior. Deixe as cabeças intocadas. Ferva uma panela de água com sal, e cozinhe os aspargos da mesma maneira que se cozinham batatas: Teste com uma faca, quando estão bem macios, estão cozidos.

Enquanto isso, cozinhe os dois ovos duros (10 minutos). Esmague-os por cima dos aspargos cozidos, derreta a manteiga e despeja por cima. Você nunca vai se esquecer dessa experiência…

Quiche

Posted by on fev 17, 2013 in entradas, prato principal, vegetariano, vegetariano
No Comments

Uma outra grande paixão gastronômica da minha vida. Antes de postar aqui eu testei mais de 10 receitas diferentes, até conseguir alguma que tivesse o mesmo sabor das que eu provei na Europa. A que eu fiz para o post é a famosa Chèvre tomate (queijo de cabra com tomate), a minha preferida. Mas as quiches podem ser feitas com os mais diversos ingredientes, como: bacon e cebola, alho-poró e cogumelos refogados na manteiga, apenas cebola, queijo gruyère, entre tantos outros.

IMG_8380

É um pouquinho trabalhoso, mas não é difícil de fazer. Para 4 ou 5 pessoas você vai precisar de uma forma baixa de 26cm e os seguintes ingredientes:

Massa:

  • 200g de farinha
  • 1 colher de chá de sal
  • 100 gramas de manteiga resfriada
  • 100 ml de água

Coloque a farinha em uma tigela. Se quiser peneirar antes fica mais fácil depois, mas não é absolutamente necessário. Misture o sal na farinha. Corte a manteiga em cubinhos e com as mãos vá misturando com a farinha até até obter uma mistura de estilo grosseiro, tipo farofa.

Arrume a mistura na tigela formando um buraco no centro. Despeje a água no buraco. Continue misturando até formar uma massa homogênea. Faça uma bola e cubra com filme plástico. Deixe descansar na geladeira pelo menos 30 minutos antes de abrir.

Recheio:

  • 300g de tomates-cereja ou tomates-pera
  • 200g de queijo de cabra
  • 250g de creme de leite fresco
  • 3 ovos
  • 1/2 colher de chá de sal
  • pimenta do reino preta à gosto

Unte a forma com manteiga. Abra a massa com um rolo sobre uma superfície enfarinhada. É possível ir abaixando a massa com a mão pressionando-a dentro da forma mas eu acho mais difícil. Se tiver um rolo ou uma garrafa limpa de cerveja (600ml) para rolar é mais simples. Eu meço a massa na forma, abrindo um pouco maior do que o tamanho do fundo (para conter as bordas também). A partir daí você pode colocar diretamente a massa na forma, cortando as sobras ou cortar com a própria forma o fundo e usar a sobra para fazer as bordas depois.

Quando a forma já estiver coberta com a massa, coloque os tomates cortados pela metade ou em rodelas e o queijo cortado em pedaços pequenos de maneira que fiquem distribuídos igualmente.

Em outra tigela misture o creme de leite, os ovos, o sal e a pimenta com um fouet. Despeje o mistura na forma sobre com a massa com recheio escolhido.

Leve para assar no forno preaquecido por 10min até a massa ficar levemente dourada e o recheio estufado. O meu forno é um forno normal à gás. Eu deixo cerca de 45min na temperatura mais alta (290°C) na parte mais baixa do forno.

Agora é só comer!!!

IMG_8381

 

 

Zabaione de salmão

Posted by on jan 28, 2013 in entradas, peixes, peixes, prato principal
No Comments

zabaione de salmão

Esta sopa fica bem diferente e especial, mas é simples: Salmão, ovo, vinho branco, mostarda, e algumas ervas. O preparo também é bem rápido.

  • 200g de filé de salmão
  • 4 colheres de sopa de vinho branco
  • meio limão siciliano
  • 1 cebola roxa pequena
  • 1 cubo de caldo de peixe concentrado (ou 500ml de caldo de peixe)
  • 3 gemas de ovo
  • 1 colher de sopa de mostarda de Dijon
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 2 colheres de sopa de estragão
  • alguns ramos de cebolinha

Comece por fazer o caldo se for usar caldo concentrado: Ferva meio litro de água, e cozinhe os cubos até tudo estar dissolvido. Coloque numa panela a cebola roxa cortada bem fino, o vinho branco, o zesto (ralado bem fino) e o suco do meio limão. Deixe cozinhar por alguns minutos, e acrescente o salmão cortado em 6 a 8 pedaços,  e o caldo. Deixe cozinhar com a panela tampada por mais 5 a 10 minutos. Desligue o fogo.

Misture as gemas com a manteiga e a mostarda, e acrescente algumas colheres de sopa do caldo, para aquecer a mistura (a manteiga vai derreter, e na hora de por tudo junto, o zabaione já estará mais quente, será menos fácil da gema cozinhar), acrescente as ervas, misture bem. Coloque toda essa mistura na panela, e misture bem para não cozinhar a gema.

Patê de fígado com cachaça e rúcula

Posted by on dez 9, 2012 in carnes, entradas, lanche, salgados
No Comments

O preparo deste patê é um pouco longo, apesar de fácil, mas você pode preparar uma quantidade maior e usar o resto dos fígados em outros pratos (salada, etc…). Na verdade é assim que nasceu a receita…

  • 800g de fígado de frango
  • 2 cebolas
  • 5 dentes de alho
  • 2 colheres de sopa de açúcar mascavo
  • 1/2 xícara de cachaça
  • 1/2 xícara de shoyu
  • 1 pequeno maço de rúcula
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 2 colheres de sopa de cream cheese
  • 2 colheres de sopa de ricota picada
  • 1 colher de chá de sal

Unte um prato para assar com a manteiga, e dispõe nele as cebolas cortadas em 4, os dentes de alho, os fígados, salpique o açúcar mascavo e o sal por cima, e regue com o shoyu e a cachaça. Asse em forno quente (250°C) por 25 minutos, vire os fígados, continue assando por outros 25 minutos. Retire do forno, acrescente o cream cheese, a ricota e a rúcula, pimenta preta moída, e passe tudo no mixer ou no liquidificador. Guarde algumas horas na geladeira antes de comer, para que fique mais firme.

Sopa de queijo tilsit

Posted by on maio 2, 2012 in acompanhamento, entradas, prato principal, vegetariano, vegetariano, vegetariano
No Comments

O frio chegou e com ele essa receitinha fácil e rápida de fazer. E gostosa, e quentinha! Para 1 litro de sopa (2 a 3 pessoas, dependendo da fome), precisamos:

  • 150g de pão branco amanhecido
  • 800ml de caldo de carne
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 1 cebola grande em cortada em pedacinhos
  • 200g de queijo tilsit ralado grosso
  • sal e pimenta

Corte o pão em fatias finas e coloque em uma tigela. Cubra com o caldo de carne quente (quase fervendo). Reserve. Numa panela, frite a cebola com a colher de manteiga até dourar. Acrescente o pão com caldo. Coloque o queijo e mexa até ferver. Acrescente a pimenta e sal se for necessário. Deixe ferver por 5 minutos mexendo de vez em quando para não grudar. Sirva com um pouco de queijo ralado para decorar. 🙂

queijo tilsit

 

 

 

Rolinhos de abobrinha com blanquet de peru e queijo cottage

Posted by on fev 4, 2012 in carnes, entradas
No Comments

Essa receita é uma evolução de uma que eu inventei um dia desses quando a gente cozinha “com o que tem na geladeira”. A receita original era com abobrinhas cortadas ao meio e cavadas um pouquinho para caber o recheio, o que foi cavado era colocado junto no recheio.
Mas eis que eu encontrei abobrinhas finamente fatiadas para vender (cerca de 3 mm de espessura a fatia) e achei que poderia ficar ainda melhor!
Aqui vai a versão final (mas se quiserem fazer a outra só muda o visual, e a relação quantidade  abobrinha/recheio).
Para 02 pessoas:
  • 400g de abobrinha fatiada (3mm, mais ou menos)
  • 300g de queijo cottage
  • 250g de blanquet de peru
  • 01 cebola média
  • tempero árabe
  • pimenta do reino
  • páprica doce
  • sal 
  • azeite de oliva

Cozinhe as abobrinhas fatiadas no vapor por 5 min, para as fatias ficarem macias e poderem ser enroladas.

Numa tigela misture o queijo cottage, a cebola picada bem miudinho, o tempero árabe, a pimenta, a páprica e o sal.
Unte um refratário (o meu aquele, é o de sempre 30X17cm) com azeite de oliva. Vá fazendo rolinhos com uma fatia de abobrinha, fatias de blanquet de peru (corte se precisar) e no meio a mistura de cottage. Coloque na forma untada.
Quando estiver completa regue com azeite de oliva em fio. O suficiente para que todos os rolinhos sejam regados. Se quiser pode colocar um pouco de cebola picada e tempero árabe para enfeitar.
Leve ao forno por 30min e voilà. Uma delícia!
Eu gosto de ráris (deu pra perceber né?) mas dá para servir com arroz branco. 🙂

Erva-doce e tomates assados

Posted by on fev 4, 2012 in entradas, prato principal, vegetariano, vegetariano
No Comments

Essa é uma receita muito saborosa e muito fácil de fazer. Foi com ela que eu descobri o valor da erva-doce.
No Rio Grande do Sul costumamos fazer chá com suas folhas (o chá de funcho) ou usar as sementes para colocar na Cuca (pão doce típico das regiões de colonização italiana). Mas eu nunca tinha pensado em realmente comê-la. Uma perda de tempo e de sabor, sem dúvida alguma!
Para 02 a 03 pessoas (eu uso uma forma de 30x17cm):
  • 02 bulbos de erva doce pequenos (sem os galhos) – ou 1 grande
  • 04 tomates médios
  • 01 cebola roxa pequena
  • azeite de oliva
  • tomilho
  • pimenta preta
  • sal
Lave aservas-doce, corte em 2 ou 4 pedaços e leve para cozinhar no vapor por 10 min.
Lave e corte os tomates em quatro pedaços.
Pique a cebola roxa em pedaços bem pequeninhos (ou rale).
Quando as ervas-doce estiverem cozidas, coloque-as em uma forma ou refratário juntamente com os tomates, alternando dentro do prato entre tomates e ervas-doce para misturar o sabor.
Salpique a cebola em cima. Depois coloque o sal, a pimenta e o tomilho. Regue com azeite de oliva fazendo um fio fino, mas cuidando para alcançar todas as partes. O azeite é que vai misturar os sabores.
Leve ao forno por 40 min, mais ou menos, para um forno convencional a gás. Ao final os tomates devem ficar um puco murchos mas não secos.
Eu gosto de servir com polenta taragna ou ráris e salada verde. Bom apetite!

Zonzo

Posted by on abr 4, 2011 in entradas, lanche, salgados, vegetariano
2 Comments

El zonzo es un exquisito manjar típico de la provincia de Santa Cruz”, é o que lhe dirá Google quando perguntado sobre este prato. Se trata de um bolo feito com mandioca e queijo branco, tradicionalmente enrolado num pedaço de madeira e assado na brasa mas que faremos de modo mais simples. Até há pouco dava para degustar um zonzo delicioso na feira da praça Kantuta, mas recentemente pararam de fazer porque ninguém pedia… A saída foi óbvia:
  • 2 ou 3 mandiocas cozidas amassadas
  • 1 queijo de minas pequeno e bem mole esmigalhado
  • 5 colheres de sopa de manteiga
  • 2 ovos
A receita não tem segredo nenhum, misture todos os ingredientes, adicione sal a gosto, coloque em uma assadeira e asse por 30 a 40 minutos em forno quente (>250°C).

Soufflé de mandioca

Posted by on abr 4, 2011 in entradas, vegetariano
No Comments

Este soufflé é muito fácil de fazer, e faz um acompanhamento bem requintado para qualquer coisa, peixe, carne, etc. Se sobrou mandioca de alguma outra receita, aqui está um uso perfeito para ele.
  • 2 xícaras de mandioca cozida
  • 4 ovos
  • 1 xícara de leite
  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 1 xícara de queijo parmesão (ou outro queijo de massa dura) ralado na hora
  • sal a gosto
Amasse a mandioca com um garfo. Separe as claras dos ovos, e misture bem todos os outros ingredientes até obter um creme grosso. Bate as claras em neve, e misture a neve delicadamente com o resto. Coloque em forno quente e deixe dourar por 30 minutos. Simples assim!

Quesadillas

Posted by on jan 25, 2011 in entradas, lanche, salgados, vegetariano
No Comments

Quesadillas são uma outra maravilha que mexicanos inventaram com a tortilha. Se trata simplesmente de uma tortilha recheada com queijo (dai o nome) e outros recheios (alguns típicos são salsa, feijão ou molho de carne). Faremos aqui um bem básico com salsa.
  • 6 a 8 tortilhas (veja como fazer na receita dos burritos, ou compre pronto, marca Rap10, fica bem fácil e bem legal)
  • 4 ou 5 tomates
  • 2 cebolas
  • algumas folhas de coentro, salsa ou espinafre
  • 400g de queijo prato
Primeiro faça o molho: refogue as cebolas em um pouco de azeite de oliva. Quando estão dourando, acrescente os tomates cortados em cubinhos e as folhas cortadas também. Deixe cozinhar por uns 10 minutos. Corte o queijo em pedaçinhos ou passe no ralador.
Coloque uma tortilha numa frigideira, sem colocar nenhuma gordura. Deixe torrar um pouquinho e vire. Recheie uma metade com um pouco de queijo e uma boa colher de molho. Dobre, aperte bem com uma espátula para ficar bem chato, e deixe cozinhar por 2 minutos, até o queijo derreter.
Sirva com jalapeños, molho de chipotle ou qualquer outro tipo de pimenta ou molho de pimenta.

Berinjelas marinadas

Posted by on out 11, 2010 in acompanhamento, entradas, vegetariano, vegetariano
One Comment

Tem no Asia House uma berinjela marinada fantástica que sempre quis tentar reproduzir. Bem, é super fácil. É melhor fazer a receita uma hora ou duas antes de comer, para que marine bem. Precisará de:
  • 2 ou 3 berinjelas (ou mais, aumentando um pouco as outras quantidades)
  • 1 colher de sopa de molho shoyu
  • 1 colher de sopa de vinagre de arroz (ou outro vinagre branco)
  • 1 colher de sopa de sakê
  • 1 colher de sopa de óleo de gergelim
  • 1 colher de sopa de açúcar
  • 1 pitada de sal
Corte as berinjelas em cubos, e cozinhe no vapor por 10 minutos. Prepare a marinada misturando os demais ingredientes, e despeje as berinjelas cozidas dentro. Misture, e deixe na geladeira por uma hora ou duas. Sirva frio.

Salade au chèvre chaud

Posted by on mar 17, 2010 in acompanhamento, entradas, vegetariano, vegetariano
No Comments


Essa receita é muito simples e é muito deliciosa. Existem muitas variações, inclusive com outros queijos que não o de cabra. Mas com queijo de cabra, acreditem, fica simplesmente superior.

Aqui os ingredientes são os astros, pois o modo de preparo é fácil demais.
  • 02 colheres de sopa de mostarda dijon
  • 03 colheres de sopa de vinagre branco
  • 06 colheres de sopa de azeite de oliva
  • sal
  • pimenta
  • 01 colherinha de mel
  • folhas verdes
  • tomates cereja
  • queijo de cabra
  • farinha de rosca para empanar
  • 1 clara de ovo
Lave as folhas verdes e os tomatinhos e coloque em uma tigela. Faça um molho com mostarda, vinagre, azeite de oliva, sal, pimenta e mel. Despeje na salada ou guarde para cada um colocar. Reserve.
O queijo que usamos aqui é um mais ou menos mole, então precisa empanar. Corte o queijo em fatias (se quiser deixe no congelador um pouco para endurecer), passe as fatias na clara de ovo depois na farinha de rosca e frite rapidamente numa frigideira bem quente com um fio de azeite apenas. Deve ficar levemente dourado fora e derretendo dentro (só dentro, ele não pode derreter todo). Hmm!
Sirva ainda quente acompanhando a salada. Hum! Adoro!


Salada verde com queijo é um prato muito comum na Bélgica e na França também. Existem outras variações que usam queijos mais duros que podem ir ao forno ou derreter em cima de uma fatia de pão. Ou até mesmo bons queijos que não são de cabra podem ficar ótimos assim.
Pode ser um acompanhamento para carnes ou servir só assim com torradas. Eu acho ótimo.