#receita original

Curry de feijão preto e manga

Posted by on ago 23, 2015 in prato principal, vegetariano
No Comments

 

curry-feijao-manga

A ideia desta receita veio após comer algo parecido no Tantra Mongolian Grill. Depois caí nesta receita, que transformei na receita abaixo. Toda a graça é no sabor inusitado do feijão preto com o doce da manga, com uma boa dose de pimenta, claro. É bem simples de fazer. Pode usar massala se conseguir encontrar (o massala é uma mistura de temperos que forma a “base” do curry), ou curry em pó. Para 4 pessoas:

  • 800g de feijão preto
  • 1 batata doce grande
  • 1 manga
  • 2 cebolas
  • 1 pimentão verde
  • 1 ou 2 pimentas vermelhas
  • 6 dentes de alho
  • 4 colheres de sopa de massala ou curry em pó
  • 1 colher de sopa de sementes de mostarda
  • 3 colheres de sopa de manteiga da terra ou ghee

O preparo não tem nenhum segredo e se faz como qualquer outro curry na Índia: Comece por cozinhar o feijão preto numa panela de pressão (25 a 30 minutos). Numa frigideira, coloque a manteiga da terra, o alho, a cebola, a pimenta e o pimentão picados, com as sementes de mostarda, e um pouco de sal. Deixe fritar um pouco até a cebola ficar transparente. Acrescente a batata doce cortada em fatias finas, deixe fritar mais, mexendo com frequência, até ficar dourado.

Quando o feijão fica mais ou menos cozido, junte o conteúdo da frigideira, e o massala na panela de pressão. Acrescente mais água se necessário. Deixe cozinhar em fogo baixo até o feijão e a batata doce começarem a desmanchar bem, e o molho a engrossar. Alguns minutos antes de servir, adicione a manga cortada em cubinhos e deixe cozinhar só mais um pouquinho para misturar os gostos, mas não desmanchar a manga.

Sirva com um pouco de coentro fresco picado, e arroz basmati (ou chapati).

Pasta de amendoim integral

Posted by on dez 22, 2014 in doces, lanche, sobremesa
No Comments

amendoim1Diabolicamente simples, porém alucinadamente delicioso. A receita é mais ou menos inspirada desta, com alguns ajustes nas proporções, e o diferencial que é que os amendoins vão inteiros, com a casquinha vermelha, e que se usa um açúcar mais grosso, o que deixa tudo como uma textura de biscoito, bastante similar à pasta de speculoos, para quem já teve a sorte de experimentar…

Para um pote de 600ml:

  • 250g de amendoim crua com pele
  • 1/2 xícara de açúcar demerara ou algum outro açúcar amarelo de grãos grossos
  • 1 colher de sopa de xarope de baunilha (ou 1/2 colher de chá de essência de baunilha)
  • 1/2 colher de chá de sal
  • mais ou menos 3/4 de xícara de óleo de amendoim ou girassol

Coloque as amendoins numa forma de pizza ou similar, e coloque no formo na posição mais quente por 15 a 20 minutos dependendo do seu forno (as cascas devem escurecer mas não chegar a torrar mesmo). Ainda quente, coloque no liquidificador com o açúcar e o sal. Bata até formar uma farofa. Acrescente o xarope de baunilha, e, sem parar de bater, aos poucos, o óleo, até chegar ao ponto de pastosidade desejado. Talvez não precise de todo o óleo.

amendoim2

Patê de fígado com cachaça e rúcula

Posted by on dez 9, 2012 in carnes, entradas, lanche, salgados
No Comments

O preparo deste patê é um pouco longo, apesar de fácil, mas você pode preparar uma quantidade maior e usar o resto dos fígados em outros pratos (salada, etc…). Na verdade é assim que nasceu a receita…

  • 800g de fígado de frango
  • 2 cebolas
  • 5 dentes de alho
  • 2 colheres de sopa de açúcar mascavo
  • 1/2 xícara de cachaça
  • 1/2 xícara de shoyu
  • 1 pequeno maço de rúcula
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 2 colheres de sopa de cream cheese
  • 2 colheres de sopa de ricota picada
  • 1 colher de chá de sal

Unte um prato para assar com a manteiga, e dispõe nele as cebolas cortadas em 4, os dentes de alho, os fígados, salpique o açúcar mascavo e o sal por cima, e regue com o shoyu e a cachaça. Asse em forno quente (250°C) por 25 minutos, vire os fígados, continue assando por outros 25 minutos. Retire do forno, acrescente o cream cheese, a ricota e a rúcula, pimenta preta moída, e passe tudo no mixer ou no liquidificador. Guarde algumas horas na geladeira antes de comer, para que fique mais firme.

Curry vermelho tailandês

Posted by on dez 7, 2012 in peixes, prato principal
No Comments

Este curry não é bem aquele famoso curry vermelho que você pode comer no Mestiço, mas é curry, é vermelho, e tem um toque bem tailandês, então porque não? A maior parte dos ingredientes é fácil de achar, mas alguns itens só podem ser encontrados em lojas orientais, como o molho tailandês, a pasta de curry e o molho de ostras… Para 3 pessoas:

  • 500g de filé de peixe (pode ser qualquer um, badejo, bacalhau, pango, etc… pode ser congelado)
  • 3 batatas médias
  • 1 pimentão verde
  • 1 colher de sopa de alho picado
  • 2 cebolas
  • 2 tomates
  • 2 colheres de sopa de pasta de curry
  • 1/2 xícara de molho Pad Thai
  • 1/2 xícara de molho de ostras
  • 1/2 xícara de shoyu
  • 1 pimenta vermelha
  • arroz de jasmim para acompanhar
  • folhas de manjericão frescas para decorar

O preparo é simples,  corte as cebolas, o alho, o pimentão  e as batatas em tirinhas, e deixe fritar por alguns minutos em uma panela com um pouco de óleo, mexendo bem, porque as batatas tem tendência em grudar. Quando as cebolas ficam transparentes, acrescente os tomates picados, a pimenta picada (sem os sementes se a pimenta é muito forte) a pasta de curry e os molhos. deixe cozinhar por 10 a 15 minutos com a panela tampada, acrescente o peixe cortado em pedaços grandes, e deixe cozinhar sem mexer (senão o peixe desmancha) por mais 15 minutos.

Sirva com arroz de jasmim, e folhas de manjericão.

Strüdel de peras e chocolate

Posted by on set 27, 2012 in sobremesa
No Comments

Uma receita super simples, para um resultado poderoso. Acredite se quiser, essa receita me apareceu num sonho…:

  • Um pacote de massa folhada congelada
  • 4 peras
  • 250g de chocolate meio-amargo

Descasque e corte as peras em cubinhos, abra a massa, e coloque numa metade dela os pedaços de pera e de chocolate misturados. Feche a outra metade da massa, e asse por 30 minutos em forno bem quente, ou até que esteja dourado.  Sirva quente. Para mais efeito, acompanhe com creme inglês, ou sorvete de creme.

Geleia de limão e manjericão

Posted by on set 18, 2012 in doces, geleias, sobremesa
No Comments

 

Uma geleia bem simples, não muito doce, mas com um leve toque de manjericão…

  • 4 limões
  • 3 copos de açúcar
  • 8 a 10 folhinhas de manjericão

Descasque os limões com uma faca, retirando a maior quantidade possível da arte branca que fica entre o suco e a casca. Bata no liquidificador com o manjericão. Deve render mais ou menos um copo e meio, a proporção é 1 de suco de limão para 2 de açúcar para dar uma geleia docinha mas não muito (o ponto perfeito para mim), coloque mais açúcar para uma geleia mais convencional. Cozinhe o suco com o açúcar por uma hora e meia, mexendo de vez em quando, ou com uma máquina de pão no programa “geleia”.

Cheesecake de bergamota

Posted by on jun 10, 2012 in sobremesa
No Comments

 

Este cheesecake partiu de uma tentativa de reproduzir o maravilhoso cheesecake de tangerina do café latte, no centro de São Paulo. Não deu muito certo, o resultado ficou bastante diferente, mas ficou delicioso também (tentarei de novo fazer o verdadeiro outra vez). Este também não foi feito com tangerinas mas com bergamotas.

  • 50g de manteiga
  • 1 pacote de wafers de chocolate (200g)
  • 300g cream cheese
  • 200g de nata
  • 2/3 copo de  açúcar + 1 copo de açúcar para a cobertura
  • suco de 1/2 laranja + zesto desta meia laranja
  • 3 ovos
  • 3 bergamotas

Comece por fazer a cobertura. Faz uma ótima geleia, portanto não hesite em fazer 2 ou 3 vezes a quantidade indicada para guardar… Descasque bergamotas, corte elas no meio e retire os sementes. Coloque-las no liquidificador e bata. Em uma panela, coloque as bergamota batidas e um copo de açúcar. Deixe ferver em fogo baixo por uma hora, mexendo frequentemente, até formar um caldo grosso. Também pode ser feito na máquina de pão, no programa geleia, mas parando um pouco antes (em torno de uma hora).

Aqueça o forno.

Faça a base: esmague os wafers, adicione a manteiga, e vai esmagando, quebrando e misturando até formar ma farofa bem úmida. Coloque no fundo de uma forma alta untada com manteiga, e aperte bem para formar uma base bem compacta.

Faça o recheio: Coloque o cream cheese e a nata numa tigela grande. Bate um pouco com o batedor de ovos, e vai acrescentando os demais ingredientes, batendo um pouco entre cada um, para fazer uma mistura bem homógena:  os 2/3 de copo de açúcar, o suco e zesto de laranja, e os ovos. Depois dos ovos, bata por um pouco mais tempo, para obter uma massa bem aérea. Despeje ela por cima da base.

Coloque a forma dentro de uma outra, maior, com 3cm de água. Asse em forno médio (250°C) por uma hora. Verifique de vez em quando se a água não evaporou totalmente. No fim, verifique se o cheesecake ficou firme, sacudindo ele levemente. Se ficou muito mole, deixe no formo por mais tempo, até ele começar a solidificar e não tremer mais quando sacudido.

Retire do forno, e deixe esfriar ainda no recipiente contendo água, em temperatura ambiente. Quando estiver bem morno (e não antes, senão o recheio vai rachar), despeje o caldo de bergamota por cima, e coloque na geladeira para esfiar por mínimo uma hora.

Geleia de manga e cachaça

Posted by on maio 19, 2012 in doces, geleias, lanche, sobremesa
One Comment

Inventei esta geleia outro dia, é super fácil de fazer, fica deliciosa e tem o toque especial da cachaça. Além disso, tem a metade de açúcar das geleias comuns…

  • 1 copo de açúcar demerara
  • 3 copos de manga cortada em pedaços (são duas mangas grandes)
  • 3 colheres de sopa de cachaça amarela

Escolhe umas mangas não muito maduras (as geleias ficam melhores com frutos um pouco firmes ainda), retire a pele e corte em pedaços bem pequenos. Coloque todos os ingredientes em um panela e cozinhe em fogo baixo por 1 hora e meia, mexendo frequentemente. Ou, se você tiver uma máquina de pão, coloque simplesmente todos os ingredientes nela,  e rode o programa “geleia”.

Rolinhos de abobrinha com blanquet de peru e queijo cottage

Posted by on fev 4, 2012 in carnes, entradas
No Comments

Essa receita é uma evolução de uma que eu inventei um dia desses quando a gente cozinha “com o que tem na geladeira”. A receita original era com abobrinhas cortadas ao meio e cavadas um pouquinho para caber o recheio, o que foi cavado era colocado junto no recheio.
Mas eis que eu encontrei abobrinhas finamente fatiadas para vender (cerca de 3 mm de espessura a fatia) e achei que poderia ficar ainda melhor!
Aqui vai a versão final (mas se quiserem fazer a outra só muda o visual, e a relação quantidade  abobrinha/recheio).
Para 02 pessoas:
  • 400g de abobrinha fatiada (3mm, mais ou menos)
  • 300g de queijo cottage
  • 250g de blanquet de peru
  • 01 cebola média
  • tempero árabe
  • pimenta do reino
  • páprica doce
  • sal 
  • azeite de oliva

Cozinhe as abobrinhas fatiadas no vapor por 5 min, para as fatias ficarem macias e poderem ser enroladas.

Numa tigela misture o queijo cottage, a cebola picada bem miudinho, o tempero árabe, a pimenta, a páprica e o sal.
Unte um refratário (o meu aquele, é o de sempre 30X17cm) com azeite de oliva. Vá fazendo rolinhos com uma fatia de abobrinha, fatias de blanquet de peru (corte se precisar) e no meio a mistura de cottage. Coloque na forma untada.
Quando estiver completa regue com azeite de oliva em fio. O suficiente para que todos os rolinhos sejam regados. Se quiser pode colocar um pouco de cebola picada e tempero árabe para enfeitar.
Leve ao forno por 30min e voilà. Uma delícia!
Eu gosto de ráris (deu pra perceber né?) mas dá para servir com arroz branco. 🙂

Pão de maçã

Posted by on nov 26, 2010 in doces, lanche
No Comments

Acabei de inventar esta receita, tentando fazer um bolo de maçã para tardes chuvosas e me dando conta que não tinha ovos em casa (e, por causa da tarde chuvosa justamente, foi descartada a ideia de sair para comprar…). É muito fácil de fazer:
  • 3 maçãs
  • 250g de farinha de trigo comum
  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 2 colheres de chá de fermento para bolo
  • 1 colher de chá de canela
  • meia-xícara de açúcar
Descasque as maçãs, retire as sementes, corte em pedaços, e passe tudo no liquidificador, até ficar um puré, mas que tiver ainda uns pedacinhos maiores (o pão ficará mais interessante).
Coloque todos os demais ingredientes em uma vasilha, acrescente o puré de maçã, e misture bem. Coloque em uma forma untada com manteiga, e asse em forno quente (> 250°C) por 35 minutos.

Bolo de canela, café, cacau com mascarpobre

Posted by on out 9, 2010 in sobremesa
No Comments

Acabei de inventar este bolo, querendo fazer um bolo de café para tardes de sábado frias e chuvosas, e deu um resultado bem legal, algo entre um bolo e um tiramisu. A Maíra batizou a invenção de mascarpobre… É bem fácil de fazer:
para o bolo:
  • 200g de farinha
  • 75g de açúcar branco
  • 75g de açúcar mascavo
  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 2 ovos
  • 2 colheres de sopa de cacau em pó
  • 1 colher de sopa de canela em pó
  • meia xícara de café já passado
  • 2 colheres de chá de fermento de bolo
para o creme:
  • 4 colheres de sopa de cream cheese (ou creme de ricota, ou 1/2 de cada)
  • 2 colheres de sopa de nata
  • 50g de açúcar
  • meia xícara de café já passado
Junte todos os ingredientes do bolo num recipiente, e misture até formar uma massa homógena bastante líquida. Se precisar, adicione mais café. Deve ter a consistência de um puré. Passe manteiga numa forma metálica (na minha opinião os bolos sempre ficam melhores em formas finas metálicas) e despeja a massa dentro. Asse em forno quente (> 250°C) por 35 minutos.
Enquanto isso, bate todos os ingredientes do creme no liquidificador. Depois de assar o bolo, deixe ele esfriar um pouco, desenforma, e despeja o creme por cima.

O creme feito com cream cheese realmente fica muito parecido com mascarpone… Fiquei com vontade herética de tentar um tiramisu assim. Já imaginou a economia?

Panelaço – Cozido de favas portuguesas e carne de porco

Posted by on set 16, 2010 in carnes, prato principal
No Comments

Essas favas portuguesas se encontram em vários lugares em São Paulo, sobretudo nos mercadões (centro, lapa). São grandes, tem casca espessa e um sabor totalmente especial. Tem que cozinhar um pouco mais tempo que feijão clássico, mas mesmo assim a casca fica durinha. Para este cozido, usei:
  • 400g de favas portuguesas
  • 1 cebola
  • 1 alho porro
  • 400g de filé de porco
  • 100g de bacon
  • 1 cenoura
  • 1 colher de chá de coentro em pó
  • 1 colher de chá de mostarda em pó
  • 1 colher de chá de cominho em pó
  • 1 tomate
Coloque as favas em uma panela de pressão e cobre com água. Deixe cozinhar durante 20 minutos, contados a partir do momento em que a panela começa a apitar.
Desligue o fogo, deixe o vapor sair, abra a panela e acrescente os outros ingredientes, o porco cortado em 6 ou 7 pedações, o resto cortado fino.  Acrescente água até quase cobrir tudo (quando cozinhar o nível vai baixar, portanto não coloque água demais. Se precisar, acrescente mais depois). Deixe cozinhar com a panela semi-tampada por outros 20 minutos, ou até que o interior das favas esteja bem macio.
O prato ficou tão bom que mereceu um nome, e foi unanimemente batizado “Panelaço”…

Espaguete com castanhas e cenoura

Posted by on set 14, 2010 in prato principal, vegetariano
No Comments

“A ideia inicial era uma macarrão alho e óleo, mas aí eu vi as castanhas e resolvi colocar.” Esse é o depoimento da cunhada sobre a criação do prato. Depois de várias experiências, consolidou-se essa receita:

  • 2 cenouras grandes cortadas em tirinhas (à juliana)
  • 300g de castanhas de caju grosseiramente picadas
  • 5 dentes de alho grandes bem picadinhos
  • 200ml de vinho tinto seco
  • 300g de parmesão ralado
  • sal e pimenta preta à gosto
  • 1 pacote de espaguete

Refoga em bastante azeite de oliva o alho, quando começar a dourar, coloque a cenoura e a castanha. Antes da cenoura amolecer, já acrescenta o vinho, o sal e a pimenta. Deixa evaporar uns 2 minutos e acrescenta o macarrão já cozido, al dente. Aí basta mistura bem o parmesão ralado e… está pronto!
É uma delícia! Valeu, Dani!

Risotinho rápido

Posted by on jul 13, 2010 in acompanhamento, vegetariano
3 Comments

A foto tá de baixa qualidade, mas o risoto, humm! 

Você sozinho em casa, chove lá fora, vontade de comer algo quente e gostoso sem ter que sair pra buscar.
Resta abrir a geladeira e se virar com o que tem dentro. Nem sempre o resultado é satisfatório, mas às vezes merece até post. Com vocês, risoto à jato de alho-poró e maçã!

  • 1 cebola pequena
  • 1/2 pimentão vermelho pequeno
  • 1 alho-poró pequeno
  • 1 maçã pequena (eu tava sozinha, gente!)
  • 2 colheres de manteiga
  • um bom punhado de parmesão
  • 1/2 copo de suco de laranja
  • 1 1/2 xícara de arroz cozido

Claaro que fica “ultrarápido” se o arroz já estiver cozido, como o meu estava, mas se não tiver arroz cozido aí na sua casa, isso não vai demorar muito mais.
Refogue um pouco a cebola e o pimentão picadinhos em uma colher de manteiga. Acrescente o alho-poró também picado, e deixe refogar até começar a amolecer. Junte o arroz cozido e o suco de laranja, misture bem. Se secar, coloque um pouco mais de água. Acrescente a maçã em tirinhas, misture, acrescente o parmesão (a mistura tem que estar meio úmida, se precisar, acrescente um pouco mais de suco ou água) e misture outra vez. Prove e ajuste o tempero – eu salguei com uma colherada de shoyo. Junte outra colherada de manteiga e abafe por 2 minutos. Voilá! =)

Prato sem nome de inspiração sul-africana

Posted by on jan 6, 2010 in carnes, prato principal
No Comments

Não consegui inventar um nome legal para este prato, portanto vai assim mesmo, mas a receita tem uma história legal. Um belo dia fomos convidados para a casa de amigos recentes. Insistiram para que eu cozinhasse uma receita “là daquelas terras”. Como não conseguia achar nenhuma receita que fosse fácil de fazer (já andava muito preguiçoso), resolvi inventar esta, que é basicamente um guisado com curry e um gratin dauphinois por cima. Na mesa, contei que se tratava de uma receita tipicamente sul-africana, pois combinava o tempero forte e tipicamente afro-indiano da carne com a batata, tipicamente anglo-holandesa. A história fez tanto sucesso quanto o prato em si… Hoje você também, portanto, será introduzido aos mistérios do prato-que-não-tinha-nome… Não é uma mentira total pois existe um prato bem parecido chamado bobotie, que farei algum dia.

  • 600 a 800g de carne moída da sua escolha
  • 2 cebolas
  • 3 ou 4 colheres de sopa de curry em pó
  • 1 kg de batatas
  • 200ml de creme de leite
  • 300g de queijo mussarela ralado

Descasque as batatas se quiser, corte elas em fatias, e coloque-as numa panela, cobertas com água salgada. Ferva por 15 a 20 minutos ou até que fiquem macias. Escorra. Aqueça o forno a 300°C
Corte as cebolas bem fino, frite com um fio de azeite de oliva, acrescente a carne moída, frite mais um pouco, acrescente o curry e continue até que a carne fique bem cozida. Numa assadeira, coloque primeiro uma camada de carne, depois as batatas, e cubra com creme de leite. Disponha o queijo ralado por cima, e asse por 15 minutos, ou até que o queijo esteja dourado.

Petit gâteau de chocolate branco e limão siciliano

Posted by on nov 28, 2009 in sobremesa
One Comment

Porque inventar é preciso…. 😀 Eu vi essa receita num menu uns tempos atrás. Não comi, não procurei uma receita, mas resolvi adaptar a receita da Benê. Ficou assim… e ficou bom!

  • 100g de chocolate em barra branco
  • 100g de manteiga sem sal
  • 150g de açúcar
  • 50g de farinha de trigo
  • 02 ovos
  • 01 gema
  • 01 limão siciliano médio
  • forminhas de papel de 6cm de diâmetro
Pré-aqueça o forno a 250 C. Como sempre, aqui estamos falando de um forno à gás de fogão comum. Derreta o chocolate e a manteiga, em banho maria ou fogo bem baixo (numa panela de fundo grosso). Desligue.
Acrescente os ovos, a gema, o açúcar e a farinha, misturando muito bem a cada acréscimo. Por fim acrescente o suco do limão e a casca dele em raspas. (raspe a casaca antes de espremer o suco, que fica mais fácil)
Despeje em cerca de 10 forminhas, dispostas em uma assadeira.
Asse por mais ou menos 12 minutos. Como nas outras receitas de petit gâteau, esse tempo varia de forno pra forno, e é preciso ir ajustando, testando várias vezes até chegar ao ponto ideal. Nele o bolinho fica com uma casquinha assada por fora e mole por dentro.

Carne com vinho

Posted by on out 31, 2009 in carnes, prato principal
One Comment

Esta é uma versão bem básica de carne com vinho. É muito fácil de fazer, e acompanha qualquer coisa, como por exemplo aqui um risotto de legumes e rúcula. Você precisará, para 4 pessoas, de:
  • 600 a 800g de carne bovina, escolhe um pedaço mais ou menos bom como coxão mole ou alcatra
  • uma meia-garrafa de vinho tinto seco, da pior qualidade que você consegue encontrar (é sério, é muito importante, não fica tão bom com um vinho bom)
  • 1 ou 2 cebolas
  • 1 cenoura
  • 3 ou 4 dentes de alho
  • ervas finas (ou de Provence) frescas (o que você encontrar, alecrim, tomilho, sálvia, manjericão, manjerona, estragão, louro, etc…)
  • sal, pimenta do reino

E se você quer fazer o risotto também:

  • uma cenoura
  • uma ou duas cebolas
  • um alho-porró
  • arroz (para risotto se qum pouco de azeite de olivauiser)
  • 200g de queijo tipo mussarella ou prato ralado
Corte o alho, as cebolas, a cenoura e a carne em tiras. Frite o todo em em uma panela, começando com a cebola, o alho e a cenoura, e acrescentando a carne quando os legumes começam a dourar. Acrescente uma pitada de sal e de pimenta do reino se quiser. Quando a carne também começa a dourar, acrescente o vinho e tampe a panela. Deixe cozinhar em fogo baixo por 20 minutos ou até que as cenouras, que são o elemento mais duro da panela, fiquem bem macias. No final, pique as ervas e acrescente, e deixe cozinhar por mais alguns minutos.
Para fazer o risotto, pique todos os legumes em pedacinhos, frite por alguns minutos em um pouco de óleo, acrescente um pouco de sal, uma ou duas xícaras de arroz, mexe até ele ficar translúcido, e acrescente água até cobrir o arroz. Adicione mais água aos poucos, conforme o arroz absorve ela. Quando o arroz está quase cozido, não acrescente mais água e deixe secar. Quando está pronto, acrescente o queijo ralado e sirva.

Sopa azteca

Posted by on set 30, 2009 in prato principal
No Comments

Uma nova invenção do Zé Prazeres. Garantimos um sabor como você nunca provou antes…

  • 3 litros de água mineral gaseificada
  • 4 cebolas grandes raladas
  • 2 cabeças de alho moidas ou trituradas
  • 300g de fubá mimoso
  • 500ml de leite
  • 1 pimentão vermelho picado
  • 1 maço de salsinha e cebolinha picado
  • 1 colher de sopa de louro em pó
  • 1 colher de sopa de paprica doce
  • 1 colher de sopa de colombo ou curry
  • 200g de chocolate amargo 85% ralado
  • 100g de manteiga
  • sal

Faça um caldo com a cebola, o alho e todos os temperos. Separadamente, misture o fubá ao leite, e adicione vagarosamente o caldo à mistura, sem parar de mexer, até dar consistência cremosa. No final, acrescenta a manteiga para dar uma textura aveludada. Apague o fogo e acrescente o pimentão, a salsinha e a cebolinha.

Sirva com uma colher de sopa de chocolate ralado e acompanhe com este biscoito estranho, que o Zé encontrou na Liberdade…

Pavê de café com chocolate

Posted by on set 30, 2009 in sobremesa
No Comments

Esta receita é obviamente do Zé Prazeres, fielmente retranscrita aqui por mim e ricamente ilustrada pelo Irineu. Não preciso dizer que é imperdível…
  • 3 pacotes de biscoitos champagne ou biscoitos ingleses
  • 2 litros de café bem forte
  • 2 latas de leite condensado
  • 2 xícaras de leite
  • 15 colheres de amido de milho ou fecula de batata
  • uma xícara de cacau em pó
  • 4 colheres de manteiga
  • geleia de frutas vermelhos
  • conhaque ou outra bebida

Misture o café com o leite condensado, bote para ferver. Misture o leite com o cacau e o amido. Depois do café ferver, misture as duas preparações. Se embolotar, passe na peneira. Junte a manteiga. Reserva.

Molhe os biscoitos em leite com conhaque ou qualquer outra bebida e começa a montar camadas, alternando creme de chocolate e biscoitos. Antes de começar a montagem, forre a forma com geleia de frutas vermelhas. Coloque na geladeira, e vire em um prato para desenformar na hora de servir.

Enrolado de carne com molho de laranja e vinho, risotto de pimentão amarelo e alho poró

Posted by on set 23, 2009 in acompanhamento, carnes, prato principal, vegetariano
No Comments

Achei que seria legal instaurar uma nova categoria com menus completos e “despretensiosos” que às vezes, por acaso, inventamos. Este aqui nasceu de um erro; pensamos assar uma carne, fomos no açougue aqui em baixo de casa, pedi um pedaço de coxão mole, e, como sempre acontece nesse açougue, o cara cortou o pedaço de um jeito totalmente estranho. Em vez de fazer um pedação, para assar, ele fez um enorme bife de 1kg, de 2cm de espessura.

Mas isso permitiu algo bem legal. Coloquei vários legumes cortados em cima do bifão, flor de sal, enrolei tudo e amarrei com barbante. A carne ficou absolutamente deliciosa. A Maíra fez um risotto incrível, e deu no que deu. Para 4 pessoas, precisaremos de:

  • 1 pedaço de coxão mole de 1kg, se possível uma única grande fatia de 2cm de espessura
  • 1 ou 2 cenouras
  • 1 pepino japonês
  • 1 cebola
  • 2 colheres de sopa de alho triturado
  • 2 colheres de sopa de flor de sal, ou de sal grosso
  • 2 laranjas
  • 1 copo de vinho tinto seco
  • 1 xícara e meia de arroz
  • 1 alho poró
  • 1 pimentão amarelo
  • Rúcula ou agrião (ou um mix dos dois)
  • 1 colher de sopa de farinha
  • Azeite de oliva
  • Queijo parmesão ralado

A carne

Corte as cenouras, o pepino e a cebola em palitos. Abra a carne na forma de assar, e espalhe metade do sal nela. Coloque os legumes em cima, e espalhe o alho por cima de tudo. Feche a carne por cima, amarrando com barbante. Se quiser despeje um fio de azeite de oliva em cima, e espalhe o resto do sal. Asse em forno bem quente (>250°C) por 40 minutos ou até que o topo da carne fique bem dourado.

O molho de laranja e vinho

Esprema duas laranjas, coloque o suco em uma panela junto com o vinho. Ferva e deixe reduzir. Quando diminuir bem, acrescente uma ou duas colheres de chá de farinha, mexa bem para desmanchar a farinha e deixe engrossar mais um pouco. Despeje o molho em cima da carne na hora de servir.

O risotto de pimentão e alho poró

Pique o pimentão amarelo e o alho poró bem finos, e refogue com azeite de oliva. Coloque uma xícara e meio de arroz, frite um pouquinho junto, acrescente água aos poucos e cozinhe até o arroz ficar bem macio. Quando estiver pronto, acrescente queijo parmesão ralado a gosto, e misture.

Acompanhamos isso tudo com um mix de rúcula e agrião, e uma garrafa de um excelente vinho de Alentejo chamado Monsaraz.