#sopa

щи (xi) – sopa russa de legumes

Posted by on nov 10, 2015 in entradas, prato principal, vegetariano, vegetariano
No Comments

chtchi

O xi (as vezes você encontra escrito shchi ou chtchi, mas resolvi seguir a wikipedia) é uma sopa de legumes (onde pode ir carne também) bem típica da Rússia e da Ucrânia. Já tinha ouvido falar por amigos dessas regiões, até que consegui provar uma feita por alguém Russa. É surpreendente como algo que parece tão simples, com ingredientes tão comuns, pode ficar tão diferente e tão bom. Não deixe de provar. A receita a seguir é adaptada desta e dá para 2 pessoas como prato principal, ou 4 pessoas como entrada.

  • 3 colheres de sopa de manteiga
  • 1 cebola
  • 1/4 repolho fatiado bem fino
  • 1 cenoura grande
  • 1 batata grande
  • 1 galho de salsão (sem as folhas)
  • 1 cubo de caldo de legumes
  • 2 folhas de louro
  • 1 colher de sopa de endro
  • sal e pimenta do reino
  • creme azedo, ou iogurte + limão, ou nata + limão

O preparo se faz em uma panela e uma frigideira. Na panela, coloque a metade da manteiga, e frite a cebola e o galho de salsão picados, até ficar transparente. Não deixe ficar dourado, porque queremos um caldo de cor bem clara e não marrom. Acrescente o repolho fatiado, o cubo de caldo de legumes, o louro, e mais ou menos um litro de água. Tampe e deixe cozinhar em fogo baixo por mais ou menos 30 minutos. Se secar muito, acrescente mais água.

Na frigideira, com a outra metade da manteiga, frite a cenoura e a batata, com uma pitada de sal, mexendo com frequência, até começar a dourar e ficar algo entre macio e sequinho. Tome cuidado de não cozinhar demais, porque o que vai ficar interessante é o contraste entre o caldo de repolho e essa batata e cenoura torradinha.

Se não tiver creme azedo, é fácil de fazer com iogurte ou nata: Coloque mais ou menos 150g de iogurte ou nata (não use creme de leite comum, é muito light demais, não vai funcionar) em uma tigela, esprema um quarto de limão por cima, misture bem. Deixe repousar por 10 minutos. O suco de limão vai separar o soro da massa. Com uma colher, retire o máximo possível do soro, e misture o resto novamente para ter uma aparência uniforme. Pronto, você tem creme azedo.

Quando o repolho cozinhou (pode demorar um pouco mais, dependendo se foi fatiado muito fino ou não), junte a batata e a cenoura, e acrescente o endro (as vezes também chamado “dill”, difícil de encontrar fresco, mas fácil de encontrar seco). Coloque sal e pimenta do reino a gosto.

Sirva com umas colheres de creme azedo.

E como disse Putin: “Жену свою учить будешь как щи варить.”

 

Zabaione de salmão

Posted by on jan 28, 2013 in entradas, peixes, peixes, prato principal
No Comments

zabaione de salmão

Esta sopa fica bem diferente e especial, mas é simples: Salmão, ovo, vinho branco, mostarda, e algumas ervas. O preparo também é bem rápido.

  • 200g de filé de salmão
  • 4 colheres de sopa de vinho branco
  • meio limão siciliano
  • 1 cebola roxa pequena
  • 1 cubo de caldo de peixe concentrado (ou 500ml de caldo de peixe)
  • 3 gemas de ovo
  • 1 colher de sopa de mostarda de Dijon
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 2 colheres de sopa de estragão
  • alguns ramos de cebolinha

Comece por fazer o caldo se for usar caldo concentrado: Ferva meio litro de água, e cozinhe os cubos até tudo estar dissolvido. Coloque numa panela a cebola roxa cortada bem fino, o vinho branco, o zesto (ralado bem fino) e o suco do meio limão. Deixe cozinhar por alguns minutos, e acrescente o salmão cortado em 6 a 8 pedaços,  e o caldo. Deixe cozinhar com a panela tampada por mais 5 a 10 minutos. Desligue o fogo.

Misture as gemas com a manteiga e a mostarda, e acrescente algumas colheres de sopa do caldo, para aquecer a mistura (a manteiga vai derreter, e na hora de por tudo junto, o zabaione já estará mais quente, será menos fácil da gema cozinhar), acrescente as ervas, misture bem. Coloque toda essa mistura na panela, e misture bem para não cozinhar a gema.

Sopa de queijo tilsit

Posted by on maio 2, 2012 in acompanhamento, entradas, prato principal, vegetariano, vegetariano, vegetariano
No Comments

O frio chegou e com ele essa receitinha fácil e rápida de fazer. E gostosa, e quentinha! Para 1 litro de sopa (2 a 3 pessoas, dependendo da fome), precisamos:

  • 150g de pão branco amanhecido
  • 800ml de caldo de carne
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 1 cebola grande em cortada em pedacinhos
  • 200g de queijo tilsit ralado grosso
  • sal e pimenta

Corte o pão em fatias finas e coloque em uma tigela. Cubra com o caldo de carne quente (quase fervendo). Reserve. Numa panela, frite a cebola com a colher de manteiga até dourar. Acrescente o pão com caldo. Coloque o queijo e mexa até ferver. Acrescente a pimenta e sal se for necessário. Deixe ferver por 5 minutos mexendo de vez em quando para não grudar. Sirva com um pouco de queijo ralado para decorar. 🙂

queijo tilsit

 

 

 

Pot-au-feu

Posted by on fev 3, 2010 in carnes, prato principal
No Comments

O Pot-au-feu (pote-no-fogo) é um prato bem antigo e bem clássico na França e nos países vizinhos. É basicamente um cozido, similar aos que se fazem aqui, mas com um tempero um pouco diferente. Existem muitas receitas e variações, mas a técnica é simples: carne, legumes e ervas cozinham juntos em um caldo. Se preparado numa panela de pressão, vai bem rápido (mais ou menos 35 minutos); senão, leva normalmente umas 2 horas. Os ingredientes clássicos, para 4 pessoas, são:
  • 800g a 1 kg de lagarto bovino (ou outro pedaço, mas o lagarto fica perfeito)
  • 2 cenouras grandes
  • 2 batatas grandes
  • 1 ou 2 cebolas
  • 6 a 8 dentes de alho
  • 1 alho-poró
  • 6 ou 7 ramos de salsão
  • 1 ou 2 nabos
  • 1 bouquet garni (ou ervas de provence)
  • 3 ou 4 cravos
  • pimenta preta
Como existem muitas receitas diferentes, você pode variar os ingredientes, omitir algum que não encontrar, etc…

É muito simples de preparar: corte todos os ingredientes em pedaços grandes, coloque tudo na panela de pressão, encha de água até a metade dos ingredientes, coloque uma boa pitada de sal, e deixe cozinhar por mais ou menos 35 minutos. Não faz mal se cozinha um pouco mais. Se preferir cozinhar em panela comum, levará no mínimo 2 horas, em fogo médio. Se quiser, pode servir com algum acompanhamento (pão, arroz, salada, etc).

Creme de agrião

Posted by on out 8, 2009 in entradas, prato principal, vegetariano, vegetariano
One Comment

Para 02 pessoas:

  • 02 batatas grandes
  • 01 cebola média
  • 01 colher de sopa de manteiga
  • 250g de agrião
Frite as cebolas na manteiga até ficarem douradas. Acrescente as batatas cortadas em pedaços pequenos (quanto menores mais rápido será o cozimento) e frite mais um pouco. Deixe cozinhar até que as batatas fiquem macias, acrescentando água quando necessario.
Quando as batatas estiverem macias cubra-as com água (deixando uns 2 cm acima das batatas ) e deixe ferver. Coloque o maço de agrião na panela e deixe murchar. Leve tudo ao liquidificador ou passe um mixer. Salgue e se necessário deixe a água secar um pouco para obter uma consistência cremosa.
Depois é só servir. Bom apetite!

* Alguém tem um bebê que não quer comer? Pois então, sirva essa iguaria francesa para ele e tranforme-o num bebê gourmet. Sucesso garantido. E o Esteban aprova!

Sopa azteca

Posted by on set 30, 2009 in prato principal
No Comments

Uma nova invenção do Zé Prazeres. Garantimos um sabor como você nunca provou antes…

  • 3 litros de água mineral gaseificada
  • 4 cebolas grandes raladas
  • 2 cabeças de alho moidas ou trituradas
  • 300g de fubá mimoso
  • 500ml de leite
  • 1 pimentão vermelho picado
  • 1 maço de salsinha e cebolinha picado
  • 1 colher de sopa de louro em pó
  • 1 colher de sopa de paprica doce
  • 1 colher de sopa de colombo ou curry
  • 200g de chocolate amargo 85% ralado
  • 100g de manteiga
  • sal

Faça um caldo com a cebola, o alho e todos os temperos. Separadamente, misture o fubá ao leite, e adicione vagarosamente o caldo à mistura, sem parar de mexer, até dar consistência cremosa. No final, acrescenta a manteiga para dar uma textura aveludada. Apague o fogo e acrescente o pimentão, a salsinha e a cebolinha.

Sirva com uma colher de sopa de chocolate ralado e acompanhe com este biscoito estranho, que o Zé encontrou na Liberdade…

Sopa de cenoura

Posted by on set 5, 2009 in entradas, prato principal, vegetariano, vegetariano
No Comments

Esta sopa é muito simples de fazer, é um clássico na França e na Bélgica, comi isso na minha infância toda. Além disso, é saudável e vegetariano. Você precisa de:

  • 6 a 8 cenouras grandes
  • Sal, Pimenta do reino
  • 1 ou 2 cebolas (opcional)
  • Queijo ralado para servir

Se decidir fazer a versão com cebola, frite primeiro as cebolas cortadas em rodelas em um pouco de óleo. Senão, comece a partir daqui:
Corte as cenouras em rodelas, coloque em uma panela (junto com as cebolas se tiver), coloque uma colher de chá de sal e cubra de água.
Deixe cozinhar com a panela tampada por 30 minutos, ou até que as cenouras fiquem bem macias quando espetadas com uma faca.
Passe tudo no liquidificador, em várias vezes se necessário.
Acrescente mais um pouco de sal se necessário, um pouco de pimenta do reino a gosto, e deixe cozinhar mais 5 minutos
Sirva com queijo ralado como na foto acima.

Tacacá da Amazonia

Posted by on ago 19, 2009 in entradas, peixes
6 Comments

Faz tempo que estou (estamos!) querendo postar sobre comidas brasileiras neste blog. Finalmente, depois de uma viagem, conseguimos os ingredientes para fazermos alguns pratos.
Começamos pelo Tacacá.
Se trata de uma iguaria da região amazônica, e cada estado faz um “sotaque” diferente no tempero. Se bebe em cuias, é uma espécie de sopinha com camarões secos e ervas da região.
Resolvi preparar como se faz em Manaus, parecido com o de Belém, mas os amazonenses dizem que o Tacacá paraense é fraco e os paraenses retrucam opinando que o Jambú manauara não está bem cozido… Aqui, um termo meio ao sotaque manauara. Bem bom…
Para umas seis cuias médias precisamos de

  • 2 litros de Tucupí (caldo extraído da mandioca brava, venenoso, mas que fervido por horas, fica pronto para se consumido sem perigo. Ingrediente difícil de conseguir em São Paulo mas que custa de 2 a 5 reais no Mercadão de Manaus, ou no Ver-o-Peso de Belém. Também tem um circuito paulista do Tucupí, mas custa mais de R$10 o litro)
Sacolada vinda de Manaus. Os pezinhos à esquerda não eram ingrediente.
  • 2 maços de Jambú (uma chef de restaurante, aqui em São Paulo, me disse que se consegue no Mercadão da Lapa)
  • 1 maço de chicória pequeno (não adianta, não é a mesma daqui, vou procurar no mercadão da Lapa se acho. Aquela de lá.. eu trouxe, né?)
  • Folhas de Alfabaca
  • 1/2 Kg de camarão seco médio ou graúdinho
  • 2 cebolas médias
  • 8 dentes de alho
  • 6 colheres rasas de goma de mandioca (massa para fazer tapioca ou massa puba, serve)
  • Sal
  • Pimenta cumari, ou qualquer outra pimenta fresca, de cheiro.

Antes de nada, se colocam os camarões durante horas, de molho para tirar o sal; eu troquei a água algumas vezes e enxaguei muito bem, porque deixei por pouco tempo. Por último “sequei” eles numa frigideira sem nada até tomarem uma corzinha mais alaranjada.

Depois se coloca o tucupí num panelão a fogo médio. Na mão, se vai cortando para dentro do caldo, as cebolas, o alho e a chicória, em pedaços médios a graúdos. Quando ferver se acrescentam as folhas de alfabaca e uns pedacinhos de pimenta esmagada, sal a gosto. Deixar ferver bastante até a cebola ficar transparente e molinha.

Enquanto isso, limpar o Jambú, (Se trata de uma planta de folha parecida com o agrião, a seleção das folhas é parecida também, e se deixam as flores e os talos. Se descartam apenas os talos mais duros e as folhas murchas ou muito amareladas) colocar água para ferver em outra panela e quando levantar fervor jogar as folhas para escaldar, deixar até mudar de cor e ficar com uma consistência mastigável. Se cozinha em troços grosseiros. Pegar com uma pinça e colocar no Tucupi antes de servir ou, diretamente na cuia, quando se fizer a montagem.

Numa outra panelinha dissolver a farinha de tapioca com água fria e, quando os resto das coisas estiverem mais o menos prontas, coloca no fogo e mexer até que magicamente vai ficando uma goma transparente.


Montagem

Numa cuia (ou uma cumbuquinha para sopa, ou até mesmo uma caneca) se coloca uma concha bem cheia do Tucupí, se acrescenta o Jambú cozido (a não ser que já tenha sido misturado, claro), uma colher grande de goma (ou não, os manauaras não gostam muito de goma, preferem acrescentar logo farinha) e por último os camarões secos. Serve-se bem quente e, acreditem não suei nenhuma gota naquele forno à beira do Rio Negro. Não acrescentei pimenta, mas pode ser feito um molinho com o próprio caldo do Tucupí e mais umas pimentinhas do cheiro. Se entrega um palito, tipo espetinho, para ir “catando”as folhas e os camarões, e glup!!!

Algumas pessoas garantem que o Tacacá é o melhor remédio contra a ressaca. Eu gosto da dormência que as folhas de Jambú traz pros lábios e língua!

Αυγoλέμoνo – Sopa grega de galinha

Posted by on jul 20, 2009 in aves, aves, entradas, prato principal
2 Comments


Essa sopa é basicamente uma canja grega, fácil de fazer, com ingredientes que você possivelmente terá em casa. Porém, com os temperos helênicos, o sabor, para nós, parecerá inusitado. Vale muito a pena!

  • 600g de frango orgânico
  • 1 cebola cortada grosseiramente
  • 2 dentes de alho
  • 1 colher de azeite de oliva
  • 1 xícara de arroz
  • 2 ovos e 1 gema
  • 1 limão siciliano
  • cebolinha
  • tomilho
  • louro
  • pimenta branca em grãos


Refogue ligeiramente cebola, alho, frango, tomilho, louro e a pimenta. Junte água quente suficiente para cobrir (ou um caldo de legumes caseiro). Quando o frango cozinhar, retire e corte em pedacinhos. Reserve.
Refogue o arroz em um pouco de azeite e junte o caldo do frango. Quando o arroz estiver cozido, junte o frango picado. À parte, bata os ovos, a gema, e o suco do limão, e depois junte um pouco do caldo quente. Jogue a mistura de limão na sopa, mexendo sem parar, e cuidando para não ferver, senão pode coalhar! Junte a cebolinha e sirva imediatamente, com pão e queijo.

Sopa de amendoim

Posted by on jun 17, 2009 in carnes, prato principal
3 Comments


Receita que aprendi com a Estela, minha amiga que viveu na Bolívia. Uma sopa bem substanciosa e picante, perfeita pra estes dias frios. É daquelas receitas que variam ligeiramente de família pra família, de região para região. Portanto, você pode simplesmente fazer a sua sopa de carne e legumes e acrescentar o amendoim (e muita pimenta!) no final.
Se quiser seguir minha receita, é mais ou menos assim:

  • 300-400g de carne para sopa (músculo, ossobuco, etc)
  • 1 ou 2 cebolas
  • 2 dentes de alho
  • 1 tomate picadinho (opcional)
  • 3 ou 4 batatas em cubinhos – “à jardineira”
  • 2 ou 3 cenouras em tirinhas – “à juliana” ou “julienne”
  • 100g de ervilhas frescas ou congeladas – já vem “em bolinhas”!
  • 1 xícara de amendoim cru sem pele
  • bastante pimenta vermelha, calabresa, biquinho, etc, a sua favorita.
  • sal

Sele* a carne em pedaços grosseiros, com azeite de oliva ou de amendoim, e depois acrescente a cebola e a pimenta picadas, alho e tomate, se quiser. Refogue um pouco, cubra com água quente e coloque na pressão. Deixe cozinhando por pelo menos 20 minutos, tire da pressão e acrescente os legumes, conforme sua dureza: batatas, depois cenouras e ervilhas (Eu gosto de tudo al dente, principalmente a cenoura, que acrescento por último), e mais água, se necessário. Se você tiver um caldo de carne ou legumes (não um tablete, um caldo feito em casa!) obviamente tudo ficará ainda melhor!
15 minutos antes de tudo estar cozido no ponto desejado, acrescentaremos os amendoins triturados no liquidificador. Você pode acrescentar um pouco d’água para facilitar esse processo, obtendo o creme que é adicionado à sopa. (Eu trituro sem água por gosto de sentir alguns pedacinhos do amendoim.)
Ajuste o tempero e sirva! Vai dar vontade de fazer de novo!

Truque: Para pelar o amendoim, basta cobrí-los com água fervente, que as peles se soltarão facilmente entre os dedos (espere a água esfriar um pouco, para não ser sua a pele que se soltará entre os dedos!!). Facilmente, mas um a um. Então, se quiser facilitar AINDA MAIS, compre um ou dois pacotinhos de amendoim sem pele (aqueles para aperitivos) e aí é só triturar. Mas cuidado, pois estes costumam já vir salgados!

*Definindo: “Selar” significa dourar a superfície da carne rapidamente em uma superfície bem aquecida (panela, grelha ou forno) para fechar, encerrar, a superfície, evitando a perda dos sucos naturais da carne e reduzindo o ressecamento. Portanto, espere até que se forme uma ‘casquinha’ torrada em um lado da carne para então virá-la do outro lado.
Fonte: SIC – Serviço de Informação da Carne

Bouillabaisse

Posted by on jun 12, 2009 in peixes, prato principal
3 Comments

A bouillabaisse é um ensopado de peixe típico da Provença (região do sul da França), mais especificamente da cidade de Marseille. Existe uma enorme quantidade de receitas diferentes, mas o dia que descobrimos esta num livro da Mariel, foi uma revelação. Mesmo se você for Francês, aposto que nunca comeu uma Bouillabaisse igual. A receita é bastante complexa, mas seguindo o planejamento milimétrico a seguir, não haverá erro…

1. Ingredientes

Aqui está tudo que precisa: Peixe branco (cação), peixe gorduroso (sardinha), açafrão, alho, azeite de oliva, pão, bouquet garni, cebolas, alho porro, salsão, funcho, tomates, laranja, salsinha, harissa, puré de tomate e maionese.
Normalmente, a bouillabaisse é feita com peixes típicos da Provença, portanto se trata aqui de uma abrasileiração, mas o importante é usar tipos diferentes de peixe, como uma combinação de cação ou garoupa (brancos) e cavalinha ou sardinha (gordurosos). O bouquer garni é um maçinho de ervas de provença (se encontra no mercado municipal de São Paulo). Se não tiver, use simpesmente ervas de provença secas.

O harissa é uma pasta de pimenta da Tunisia, se encontra na casa Flor em São Paulo. Se não tiver, use qualquer outra pimenta vermelha.

2. Caldo de peixe

Na hora de comprar peixe, tente comprar alguns peixes inteiros. Geralmente é fácil comprar sardinhas inteiras, peça para o vendedor apenas limpa-las, deixando-las inteiras. Corte a cabeça e o rabo das sardinhas , reserve o resto, e coloque as cabeças e rabos em uma panela. Cobre com água e deixe ferver por 15 a 20 minutos com a panela tampada. Eu também acrescento um pouco de caldo de camarão em pó, que comprei no mercado municipal, para dar mais gosto. Coẽ, reserve o caldo.

3. Marinada

Esmague 6 ou 7 dentes de alho (ou use duas colheres de sopa de alho triturado), e coloque numa tigela com 3 colheres de sopa de azeite de oliva, um meio-envolope de fios de açafrão, e duas colheres de sopa de água fervente.

Corte os peixes em pedaços bem grandes, e coloque eles na marinada, separando os gordurosos dos brancos. De vez em quando, mexe neles para que fiquem bem impregnados de marinada. Deixe marinar enquanto execute os passos seguintes.

4. Rouille

A rouille é um molho também típico da Provença, a base de alho e pimenta. A versão que faremos aqui leva também maionese, o que não é muito ortodoxo, mas combina muito bem com o resto do cardápio. Misture numa tigela 2 colhers de sopa de alho triturado, 3 colheres de sopa de puré de tomate, 3 colheres de sopa de maionese e uma colher de chá de harissa ou de alguma outra pimenta vermelha. Cuidado, se você usar outra pimenta, talvez precisa ajustar a quandidade! Misture bem tudo, e reserve.

5. Sopa de legumes

Limpe os legumes, retire a parte verde de um alho porro, e corte ele em rodelas. Retire as folhas de um funcho, e corte o bulbo em fatias.Separe 5 ou 6 talos de salsão, retire as folhas, e retire os fios duros com um descascador. Corte em fatias.
Corte também duas cebolas em fatias finas. Coloque o todo em uma panela, com 2 ou 3 colheres de sopa de azeite de oliva e uma boa pitada de sal. Refogue por alguns minutos.

Corte também 5 ou 6 tomates em cubinhos. As receitas sempre dizem para retirar os sementes e a pele, mas nunca faço isso… Separe a casca de uma laranja. Coloque tudo no refogado. Acrescente o bouquet garni, ou um generoso punhado de ervas de provence.

Acrescente o caldo de peixe que fizemos mais cedo, e deixe cozinhar por 30 a 40 minutos com a panela tampada. Acrescente água de vez en quando se seca muito. Perto do fim, acrescente um pouco de salsinha picada.

6. Croûtes

Corte alguns pão francês ou baguete em fatias grossas, e passe azeite de oliva em cima das fatias com um pincel. Asse em forno quente (> 200°) por 10 a 15 minutos.

7. Cozimento dos peixes

Assim que o caldo de legumes estiver pronto, podemos colocar os peixes neles, juntos com toda a marinada deles. Os peixes gordurosos cozinham um pouco mais tempo que os brancos, portanto começa com eles, e acrescente os brancos alguns minutos depois. Cozinhe com a panela semi tampada. O cozimento total é muito rápido, menos de 10 minutos. Duas coisas são importantes: Não mexer, senão os peixes se desmancham logo, e que o caldo esteja fervendo fortemente. Coloque em fogo bem alto antes de acrescentar os peixes.

Após 10 minutes, retire com cuidado os peixes do caldo. Jogue fora a casca de laranja e o bouquet garni, para evitar que eles caiam no prato de alguém.

8. Servindo

Sirva pedaços de peixe com muito ensopado por cima. A bouillabaisse se come com as croûtes e a rouille em acompanhamento. O rouille serve para colocar no pão, mas dá também para colocar um pouco no ensopado, fica delicioso.

Acompanhe com um vinho branco seco. No dia em que fiz, saímos esta fabulosa garrafa de Corbières 2004, que compramos numa daquelas promoções incríveis da casa Flora.

Sopa de Pimentões da Gaëtane

Posted by on maio 25, 2009 in acompanhamento, entradas, vegetariano, vegetariano
No Comments


Essa sopinha é tudo de bom! Usa pimentões vermelhos e amarelos,
fica com uma cor linda, e é rica em vitamina C. Perfeita para uma noite fria com os amigos, como prato principal ou entrada.
Nós calculamos em média 1 pimentão e meio por pessoa, dos grandes. E, para a matiz que gostamos, usamos 2 amarelos para cada vermelho (ou será o contrário?!). Então, vou dar as quantidades para 4 pessoas:

  • 4 pimentões amarelos grandes
  • 2 pimentões vermelhos grandes
  • 1 pote (200g) de queijo cremoso. Nós usamos este:


Limpe os pimentões, tirando o talo verde e as partes brancas de dentro, bem como as sementes. Coloque as polpas coloridas em uma panela, cubra com água e leve ao fogo. Cozinhe até ficarem macias ao espetar um garfo.
Coloque no liquidificador os pimentões, a água (Vá colocando aos poucos, pois não precisa ser toda. Isso vai variar a cremosidade, portanto, depende do gosto de cada um. ) e o queijo cremoso. Bata até ficar homeogêneo, e retorne à panela para aquecer novamente ( o queijo está frio, lembra?) e acertar o tempero, com sal (nós nem usamos) e pimenta-do-reino.
Se você tiver um raminho de salsinha para enfeitar, vai ficar uma pintura! Nós servimos com pão ou torradas.
Bom apetite!

Você sabia?O pimentão é rico em vitaminas e sais minerais, especialmente ácido fólico, potássio, e vitaminas A, E e C. Algumas pessoas acham o fruto indigesto, mas isso é relatado principalmente em relação ao pimentão verde, e pode ser evitado utilizando-o sem a pele. Prefira sempre os orgânicos, que não acumulam agrotóxicos.

Sopa de cebola

Posted by on abr 21, 2009 in entradas, prato principal, vegetariano, vegetariano
No Comments

Este é um típico prato de bistrô parisense. Em qualquer lugar onde você para, no meio da noite agitada da métropole, pode ter certeza que terá como comer uma sopa de cebola bem perto. É bem fácil de fazer em casa também.

Retire a pele de 8 a 10 cebolas comuns (aquelas que tem a pele marrom, não as brancas nem as roxas), e pique eles bem fino. Em uma panela, aquece duas colheres de sopa de manteiga, acrescente uma pitada de sal, e frite a cebola até ficar bem dourada. Ascende o forno em 250°C. Passe a cebola rapidamente no liquidificador (não faz mal se sobra bastante pedaços ainda), e acrescente um meio-litro de água. Recoloque no fogo por 10 minutos.

Retire do fogo, e despeje a sopa em cumbucas individuais. Cobre a sopa com fatias de pão, de preferência amanhecido. Em cima do pão, cobre com queijo mussarela ralado grosso, ou em fatias se você não tem ralador. Coloque no forno por aproximadamente 25 minutos, ou até que o queijo tenha dourado.